O que você gostaria de esquecer?

ImageHost.org

por Karol

Certa vez, em uma manhã de domingo, durante uma Escola Bíblica Dominical, me perguntaram: “o que você gostaria de esquecer?”

Imediatamente pensei nas minhas maiores frustrações. Nas mentiras que contei, nas falsas amizades que me fizeram mal, no dinheiro que poderia ter gastado melhor, nos momentos de tristeza, nos pesadelos, nas respostas mal criadas que dei aos meus pais e em outras coisas mais. Afinal tudo isso me marcou tanto que é até difícil lembrar sem um pouco sofrer.

E quantas pessoas não passaram por situações semelhantes e por muito tempo queriam se esquecer de cada detalhe dos maus momentos? Eu bem sei como é complicado lembrar-se das coisas que nos fazem chorar.

Hoje, passados anos daquele episódio, eu já não quero me esquecer de nada.

Quero me lembrar de tudo nos mínimos detalhes, por que aprendi, com cada frustração, a ser uma pessoa melhor.

Com cada mentira, aprendi que elas machucam tanto a mim quanto aos que a recebem; com cada falsa amizade, que eu posso escolher melhor com quem compartilhar a minha vida. Com o dinheiro, aprendi que ele não vale o quanto aparenta; com as tristezas, que é melhor não guardar mágoa nunca; com os pesadelos, que eu sou um ser humano frágil e limitado; e com as respostas mal criadas que dei aos meus pais, que tenho que respeitar e amar aqueles que nunca me deixaram na mão.

Mas, acima de tudo isso, eu aprendi que, apesar dos dias e noites de lágrimas, eu não preciso e não quero mais sofrer: o Senhor é o meu bálsamo!


7 comentários:

Rick Serrat 5 de agosto de 2010 13:15  

Poxa vida! só de ser um post da Carol, o Blogspot tremeu todo. imagina eu? quando o Gustavo veio falar que tinha post da Carol no T7, eu fiquei espantado, como se tivese visto Silas, ops... um fantasma.

Mas quando vim aqui ler, que show! isso ai é verde Cá, eu tb ja pensei em varias coisas que queria esquecer, ja tive esse momento, tipo.. "DEUS APAGA ISSO DA MINHA VIDA!", mas agente passa por certas coisas para aprender.

Bom, escrevi de mais... parabéns por esse texto e espero mais e mais e mais e mais ..................

Anônimo 5 de agosto de 2010 13:20  

adorei

morena moraes 5 de agosto de 2010 14:12  

eu sou o que eu sou, mas também o que eu escolhi ser, certo?!

as escolhas fazem parte do aprendizado; a opção é direito conquistado!

eu também não quero esquecer nada do que eu aprendi; daria muito trabalho aprender de nvo!

@kalolizinha, escreva mais vezes por aqui. sua sinceridade é tão palpável!

beeeijos da titia @morenamoraes

Thais Lira 5 de agosto de 2010 15:46  

Ai meu Deus! Preciso gritar: QUE LINDO ISSO!
Dificilmente um texto 'me pega de jeito'. Esse, como ela mesma disse, me veio como um balsamo.

Lindo, lindo e lindo.

@LiraOficial

Rozana 5 de agosto de 2010 18:15  

Entendo que nada acontece por acaso em nossa vida, tudo tem um "Para quê", um propósito!

Parabéns!!Muito bom!!

Josias.S 7 de agosto de 2010 22:44  

Esquecer nem sempre é bom, bom mesmo é sempre ter certeza que as escolhas erradas ou certas ensinaram alguma coisa.
Bem o importante mesmo e ter a convicção que esquecer as vezes não e a maior nem melhor opção.

Samuel Varela 18 de agosto de 2010 00:40  

Ao ler esse post, a primeira coisa que me veio a mente foi o filme “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”, com Jim Carrey e Kate Winslet. O qual a sinopse é essa:
“Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) formavam um casal que durante anos tentaram fazer com que o relacionamento entre ambos desse certo. Desiludida com o fracasso, Clementine decide esquecer Joel para sempre e, para tanto, aceita se submeter a um tratamento experimental, que retira de sua memória os momentos vividos com ele. Após saber de sua atitude Joel entra em depressão, frustrado por ainda estar apaixonado por alguém que quer esquecê-lo (de fato ela esquece). Decidido a superar a questão, Joel também se submete ao tratamento experimental. Porém ele acaba desistindo de tentar esquecê-la e começa a encaixar Clementine em momentos de sua memória os quais ela não participa.”
Esse é um dos melhores filmes do Jim Carrey, e fala mais ou menos sobre isso.
Eu aprendi de uma maneira muito desagradável que as pessoas nunca esquecem principalmente quando são magoadas.
Uma vez, conversando com uma namorada que eu tinha na época, falei uma coisa que, pra mim soou como algo normal, mas para ela foi algo que a magoou muito, e só depois que eu falei é que percebi que fiz uma escolha errada de palavras para expressar o que queria dizer, mas aí o estrago já tinha sido feito. Ela ficou super magoada e eu tive que lutar muito para conseguir o perdão. O que, depois de um tempo, eu consegui. Mas ficou como uma marca, ela pode até ter me perdoado, mas nunca esqueceu o fato. Assim como eu também, até hoje, ainda não esqueci o que passei para reconquistá-la. E, hoje, eu nunca que ia querer apagar isso da minha mente, mesmo que tenha sido algo que foi muito triste pra mim, pois assim ganhei experiência para ter mais cuidado com as palavras.
Assim como em muitas outras situações que eu errei, mas que com esse erro eu adquiri a sabedoria para não errar novamente.
Eu tenho algumas cicatrizes de várias quedas, principalmente quedas de bicicleta. Hoje, não lembro da dor, graça a Deus o nosso cérebro não é capaz de memorizar a dor, mas tenho a cicatriz para me lembrar de que caí e para que eu tenha mais cuidado da próxima vez que for pedalar.

Ps.: Acho que ficou um pouco sem sentido o que escrevi, mas está aí... hehe

Postar um comentário

BLOG BOOKS!

Onde é que tá?

Divulgue-nos

T-7

Territorianos

Facebook

Comparsas

Siga-nos no Twitter

ImageHost.org
BlogBlogs.Com.Br