O Homem e o seu Monstro

O que pode levar um homem a matar duas crianças, suas próprias filhas? É nestas horas que o mais incrédulo dos seres humanos cede à tentação de dizer que "isto é falta de Deus no coração".


"Os corpos das duas meninas jogadas da ponte de ponte de Nova Almeida, no início da noite desta terça-feira (13), pelo pedreiro Wilson da Conceição Tavares, pai das crianças, foram encontrados nesta quarta-feira.


A primeira ser resgatada morta pelo Corpo de Bombeiros foi Luciene da Conceição Barbosa, 4 anos, por volta das 9h30 desta quarta na localidade de Porto da Lama, município de Fundão, um dos municípios da Grande Vitória. 

À noite, por volta das 18h30, populares localizaram o corpo de Luciana Dortes Barbosa, de 2 anos, em Praia Grande, também na orla de Fundão.

Nesta quarta, em depoimento pela segunda vez à polícia, o pedreiro Wilson da Conceição Barbosa declarou que estava sóbrio quando jogou as duas filhas da ponte.

O delegado responsável pelo caso disse que o pai das duas meninas premeditou o crime. O pedreiro era alcoólatra e viciado em crack. Nenhum exame foi realizado para saber se Wilson realmente não havia consumido bebida alcoólica ou droga.

Ao delegado, Wilson informou que cometeu o crime por influência emocional para se vingar da esposa. Ele não se conformava com a separação da diarista Ana Lúcia, mãe das meninas jogadas da ponte. O pedreiro e Ana Lúcia foram casados por 14 anos." (Fonte: Gazeta Online)


O terror que assombrou o bairro onde aconteceu a tal atrocidade, por sinal bem próximo de onde eu moro, é o mesmo que me invade quando noto que não há piedade nos corações dos homens. Nem dos que matam por motivo qualquer, e tampouco dos transeuntes que se comovem e anseiam furiosamente a recompensa de tais atos - e que sejam de preferência tão cruéis quanto foi o crime.

Não somos piedosos, misericordiosos ou tão cheios de graça assim. Nenhum de nós - inclusive eu - tem a coragem de sequer falar sobre perdão e regeneração numa hora como esta. Nosso coração quer justiça, e nossas mãos querem sangue.

Não quero aqui dizer que o tal homem monstro não merece pagar legalmente pelo que fez (e espero que isso fique claro), mas que nós, como seres humanos igualmente cruéis e cheios de falhas, não temos - e talvez jamais venhamos a ter - um "coração igual ao de Deus", como cantamos em inúmeras canções. Mesmo que um dia este homem-monstro busque o perdão divino e passe a viver o mesmo cristianismo que afirmamos viver, nós nunca esqueceremos do sangue em suas mãos.

Já cansei de ouvir cristãos que questionam a fé e o testemunho de ex-issos e ex-aquilos, assumindo a postura de mini-deuses, tiranos e irracionais, dando o veredito final e assassinando a esperança do perdão do verdadeiro Deus - Piedoso e Justo.

Enquanto o monstro que em nós habita se esconde atrás da máscara de nossa religiosidade ou dos preceitos que nos educaram, as garras imponentes se levantam a cada monstruosidade alheia.

Pense. Ore. Transforme-se.


by GG

1 comentários:

Ira 15 de abril de 2010 08:56  

Estarão divididos: pai contra filho, filho contra pai; mãe contra filha, filha contra mãe; sogra contra nora, e nora contra sogra. Lcs 12,53
Sempre me pergunto, e em meio a isso o que nós Cristão faremos?

Postar um comentário

BLOG BOOKS!

Onde é que tá?

Divulgue-nos

T-7

Territorianos

Facebook

Comparsas

Siga-nos no Twitter

ImageHost.org
BlogBlogs.Com.Br