Esta Casa


Um conto (apaixonado) de Gustavo Guilherme


Esta casa nunca esteve desocupada, mas dia desses um homem educado e gentil bateu na porta.

Com um sotaque hipnótico e um olhar irresistível, ele pediu que pudesse, se possível, entrar e repousar aqui, nesta casa.

Não detive o sorriso e escancarei a porta, fiz as honras, lhe ofereci um prato de lasanha, ao que gentilmente respondeu que não - preferia um belo peixe ou um pedaço de pão.

Ali o homem ficou, repousou, descansou.

Quando acordou, não o deixei mais sair. Lhe ofereci um lugar para morar. Esta casa.

Um dia percebi graves feridas em suas mãos e me ofereci para cuidar delas, mas ele, com uma delicadeza descomunal, não deixou que eu nada fizesse além de admirá-las, de vez em quando tocá-las. 

No dia seguinte, porém, ele percebeu as minhas feridas e me pediu para que ele as medicasse, e eu deixei - e ele as curou.

De vez em quando ainda o vejo mexendo nas coisas, geralmente mudando as peças desta casa de um lado para outro, voltando para o lugar onde estava e trocando de lugar outra vez. Ele é incansável em suas mudanças que me aprisionam em seu caráter irrepreensível.

Nesta casa, o homem está livre e, vez ou outra, se incomoda com a sujeira e as varre para fora da casa; se entristece com os quadros pendurados na parede, e os queima; ou, como o vi fazer estes dias, se comove com minha dor ou meu sorriso e senta ao meu lado, só para chorar comigo, só para sorrir comigo.

Nesta casa que sou eu.



Conto escrito por GG, que pede que este Homem limpe a casa todo santo dia.

11 comentários:

Rick Serrat 20 de abril de 2010 13:38  

o que comentar sobre tudo isso q acabei de ler??? SHOW DE BOLA!

porele 20 de abril de 2010 14:13  

Caramba mano... *silencio contemplativo*

Sem mais...

nEle

Andréa 20 de abril de 2010 14:36  

Liindo!!

Guilherme Poyer 20 de abril de 2010 15:02  

Isso se chama intimidade.. parabéns

Ira 20 de abril de 2010 15:02  

Me emocionei!

milton paulo 20 de abril de 2010 15:49  

bacana!

parabéns

Cristão da Universal 20 de abril de 2010 18:18  

Que lindo, inspirador.

Anamaria 21 de abril de 2010 09:27  

Lindo!!!!

thiagosouzas 21 de abril de 2010 13:02  

Muito bom, cara.

Que nossa casa continue em constante reforma e transformação.

Parabéns pelo trabalho!

Zé Luís 21 de abril de 2010 16:35  

Mandou bem.

Já fiquei imaginando a história de tantas casas: algumas que trancamos os comodos, não permitimos que ele acesse, desprezamos os conselhos de demolição de certos quartos, a surpresa dele nos revelar ser o arquiteto da casa e revelar-nos quintais e salas que nem imaginávamos que existia.

Realmente, o texto inspira.

Um abraço

Pastoragente 24 de abril de 2010 00:18  

Nossa...que gostoso ler esse texto.
Bateu uma sensação tão boa...esse é bem o jeitão do meu Jesus.
Faz uma visitinha lá em "casa".
Abraço.

Postar um comentário

BLOG BOOKS!

Onde é que tá?

Divulgue-nos

T-7

Territorianos

Facebook

Comparsas

Siga-nos no Twitter

ImageHost.org
BlogBlogs.Com.Br